Quinta-feira, 16 de Novembro de 2006

Queres? Toma...!

Mantenho os teus olhos vendados apesar dos teus protestos e coloco os dedos nos teus lábios como ordenando que te mantenhas em silêncio – “xiiiuuuuu…”
 
Pego numa corda e faço-te levantar da cadeira para o chão. Ato-te os pulsos e os tornozelos nas costas. Gemes porque está muito apertado. Eu desaperto um bocadinho, não quero provocar demasiada dor mas sim muito prazer. Sinto a tua pulsação e estás nervoso e a transpirar. Deito-te de lado para poder olhar para ti.
 

 

Ultrapassado o choque inicial começas a ficar mais calmo. “Perfeito…” – murmurei.
 
Mordisco-te os mamilos e desço devagar até ao umbigo onde enterro a língua. Pego no teu sexo completamente rijo com as mãos e afago-o e começas a arfar. Acaricio todo o teu corpo e percorro as tuas belas tatuagens em movimentos com a língua. Estás a transpirar novamente e suplicas com movimentos do corpo que te faça mais…
 
Paro. Certifico-me que a venda está bem colocada e não possas ver nada. Continuo as carícias e olho para a porta fazendo sinal á Alicia para entrar, ordenando-lhe silêncio com o dedo indicador nos lábios. Ela assente com a cabeça e aproxima-se nua, em bicos de pés. Eu continuo a acariciar-te e entretanto beijo-te os lábios. Tu correspondes com uma avidez louca e beijas-me tão intensamente que nem te reconheço.
Gen in ropes, 3...
 
 
Afasto-me. Alicia toca-te agora. Explora-te intensamente o corpo com a língua e provoca-te. Eu falo-te de vez em quando e tu assentas com a cabeça. Alicia atira-se ao teu peito sugando-o avidamente abandonando os seus longos cabelos sobre o teu corpo. O teu pénis torna-se mais duro e Alicia começa a mamar nele, como que esfomeada. Tu começas a contorcer-te num vaivém na boca dela, cada vez mais excitado. Apesar de eu te ter pedido silêncio já não te consegues conter e pedes que te solte as cordas.
- “Não meu amor, se não te doer quero que fiques assim. Magoam-te?”
- “Não, mas quero tocar-te também! Estás a enlouquecer-me!”- balbucias
 
 
 
 
 
 
 

 

Alicia investe cada vez mais no teu pénis e crava as mãos nas tuas nádegas e nos tomates alternadamente. Roça um dedo pelo teu rego e introduz no teu ânus. As tuas feições mudam de cor. Estás em êxtase completo e pedes-me para não parar. Confundes-me com Alicia e eu estou a apreciar a cena com um prazer mórbido.
 
 
A sensação simultânea da língua de Alicia na glande e do dedo a massajar o teu ânus provoca-te arrepios como raras vezes sentiste. Estás pronto a explodir e gritas:
- “Estou a vir-me!”
- “Não, ainda não”- murmurei
Subitamente, Alicia agarra no pénis com a mão e aperta-o na extremidade da glande para reter a ejaculação. Começas a sentir um orgasmo incompleto por dentro e gemes de dor porque o esperma não sai e volta para trás. Quase desmaias mas quando regressas a ti Alicia retorna às investidas no pénis e tu depressa restabeleces a erecção.
 
 
 

 

 

 Alicia quer que a penetres mas eu não deixo. Essa parte está-me reservada. Faço-lhe sinal e ela coloca-se ao lado. Eu viro o teu corpo mais para a frente e agora as cordas magoam-te mais mas já confundes a dor com o prazer. Vou para cima de ti e introduzo o teu membro devagar dentro de mim e cavalgo em cima de ti com força. Ordeno a Alicia que saia, para seu descontentamento, e desaperto-te as mãos. Investes em mim como que num acto de vingança mas tens dificuldade ainda com os pés atados. Arranco a venda dos teus olhos e vejo a fúria neles contida enquanto a tua tranca se enterra em mim com toda a força que tens.
 
 
 
 
 
Aguentas pouco tempo e no meio de gemidos sais de dentro de mim e explodes atirando todo o teu semén para a minha cara. “Toma, foste má comigo” - dizes no meio de gemidos e caretas que não deixam esconder o prazer que estás a sentir.
Estás tão cansado destas horas de “tortura” que já nem falas. Vestes-te em silêncio e deixas-te cair em cima da cama.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Não cheguei a atingir o orgasmo mas não me importei. Gozei mais do que nunca aquele segredo com a Alicia e o teu espanto perante mim, pois fizera algo de que não me julgavas capaz, durante horas e sem te dares conta.
Mas gostaste não foi amor? Amaste aquela tarde, eu sei...
 

 
tags: ,

publicado por amazonas às 18:55
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De Pedro Golias a 16 de Novembro de 2006 às 20:51
Porra...............!!!!!! Fiquei Duro!!

Mas não conseguem mais do que isso??? Soube-me a pouco....uma investida nas 2 sabia melhor. Agora só numa!! Ta bem! Para a proxima,ok.....

(É verdade a parte do dedo a massajar o anús não foi assim tão agradável) Preferia a lingua....)


Bjs sedentes......


De Marcantonio a 16 de Novembro de 2006 às 23:47
olhem

tou com tesão

e mais nao digo

caraças!!


De HERA a 17 de Novembro de 2006 às 10:00
Huuummm... fiquei com vontade de experimentar também!!!!
Beijo... com tesão :P
Boa semana



De Zoink a 17 de Novembro de 2006 às 12:07
Um final de grande nível... um êxtase fantástico.. uma tarde fabulosa.

Só fiquei com pena da Alicia... não ter sido também recompensada ....


De Assi a 17 de Novembro de 2006 às 12:43
Também quero uma escrava sexual chamada Alicia :P Para a próxima, aquece tu a panela de sopa, ó mourcouna :PPPPP


De Ana e Jorge a 18 de Novembro de 2006 às 21:09
Há segredos deliciosos ;)
Beijos


De paulowilson a 20 de Novembro de 2006 às 02:16
Su nombre: Anais
Su ubiquacion: la habitacion mas cercana!
Su gusto: luxuria
Su ocupacion: SEXO
Eres una professional!


Comentar post

.Ariana e Athena

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Festas felizes

. Até os bichinhos gostam.....

. Meninas, babem-se..!

. Uma tarde a três II

. Uma tarde a três I

. Rapadinhas vs Cabeludas

. Sem ideias...?

. Hoje mato-te a fome

. Cinto de castidade

. Um beijo

.arquivos

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
14
15

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.pesquisar

 

.subscrever feeds